Continuation-Jobim.png

Antonio Carlos Jobim - RCA Victor/RCA Camden/RCA Special Products

 



Convida-LP.jpg
[Original LP]


100anos.jpg

 

 3dconvida.jpg  3dconvida-b.jpg
[2001 CD Reissue]

Trio 3-D, "O Trio 3-D Convida", RCA Victor [Brazil] #__________ (1965).[Original LP]
Trio 3-D, "O Trio 3-D Convida", RCA Victor/BMG CD [Brazil] #74321.883742 (2001).[CD Reissue]

Includes the following Jobim songs:

Agua de Beber (Drinking Water)

So Tinha Que Ser Com Voce (It Could Only Happen With You)
 

Musician personnel: Antonio Adolfo (piano), Carlos Monjardim (bass) & Nelson Serra (drums) with special guests Raul de Souza (valve trombone), Edson Maciel (trombone), Paulo Moura (alto sax), J.T. Meirelles (tenor sax) and Eumir Deodato (arranger).

Liner Notes (in Portuguese) written by Arnaldo DeSouteiro for the CD booklet:

Fruto da “febre dos trios” característica da segunda fase da bossa nova, quando uma geração de instrumentistas da mais alta impedância e estirpe passou a reinar no Beco das Garrafas, em contraponto estético à leveza da bossa “peso-pluma” (nas palavras de Ruy Castro) de Jobim, Bonfá & João Gilberto, o Trio 3D representou um marco na carreira de seu fundador, o carioca Antonio Adolfo Maurity Sabóia. Nascido em 10 de fevereiro de 1947, estudou no Conservatório de Música Lorenzo Fernandes, passando a frequentar o Bottle’s Bar e o Little Club a partir de 1963, integrando o grupo Samba Cinco.

Chamado para atuar na banda de apoio do musical “Pobre Menina Rica”, de Carlos Lyra, durante a temporada no Teatro de Bolso, formou o Trio 3D, em dezembro de 63. Contratado pela RCA em 1964, o conjunto debutou no LP “Tema 3D”, com Nelson Serra e Dom Um Romão revezando na bateria, o argentino Catcho Pomar domando o contrabaixo, o hoje esquecido Arisio dando canja no violão, e Claudio Roditi – agora reconhecido como um dos melhores trompetistas do mundo, segundo os leitores da revista Down Beat em 2000 - entrando pela primeira vez em um estúdio de gravação, na provecta idade de 17 anos.

Neste segundo disco para a RCA, “Trio 3D Convida”, lançado em abril de 1965, Adolfo ampliou a fórmula do LP anterior, convocando seis feras para contribuições especiais. Outro talento precoce, Eumir Deodato, já com curriculo de veterano aos 22 anos, assinou brilhantes arranjos para “Só Tinha de Ser Com Você” e “Peter Samba”, empregando um potente naipe de sopros. Na verdade, um quarteto formado, simplesmente, pelos dois melhores trombonistas na história da música brasileira - Edson Maciel e Raul de Souza - e por dois dos nossos melhores saxofonistas, João Theodoro “JT” Meirelles e Paulo Moura.

O contrabaixo foi entregue ao niteroiense Carlos Monjardim, ainda hoje ativo na noite paulistana, parente distante da cantora Maysa, sideman de Wilson Simonal nos tempos do Top Club, uma boate situada na praça do Lido. E a bateria ficou a cargo de Nelson Serra de Castro, carioca que, depois do 3D, trabalhou ao lado de Dom Salvador (piano) e Manuel Gusmão (baixo) no trio que acompanhava Elis Regina em programas dirigidos por Carlos Manga na TV Excelsior. Mais tarde, atuou na França com Meirelles, Fernando Martins e Edson Lobo. Tocava com Osmar Milito na casa noturna 706 quando, vítima de um desastre de motocicleta, faleceu prematuramente em fins dos anos 70.

Nas seis faixas do “lado A” do LP, atua apenas o trio. A faixa de abertura, “Água de Beber” (Jobim), tratada de forma grandiloquente em rebuscado arranjo, com várias alternâncias de andamento, deixa transparecer a nítida influência do Zimbo Trio, surgido um ano antes em São Paulo. Não menos intrincado, o tratamento dispensado a “My Heart Stood Still”, standard de Richard Rodgers & Lorenz Hart, popularizado por jazzistas do porte de Bill Evans, Chet Baker & Dave Brubeck, também passa por diferentes moods. Depois de uma longa introdução, com Monjardim usando o arco e Nelson Serra aderindo às baquetas de feltro, o trio mergulha num balanço a mil por hora, permitindo a Adolfo demonstrar a apurada técnica lapidada nos estudos de piano clássico. Ecos de Hamilton Godoy e também de Oscar Peterson voltam a se manifestar na versão de “Reza”, de Edu Lobo, abrigando criativa performance do baixista Monjardim.

Dois temas de Marcos Valle ensejam performances irretocáveis: a bossa-balada “Preciso Aprender A Ser Só”, acelerada na medida certa para escapar do romantismo meloso, e o samba “Batucada Surgiu” (recentemente redescoberto por DJs da cena dancefloor-jazz depois da gravação de Towa Tei no “Future Listening!” de 95), ralentado e revirado harmonicamente no melhor arranjo de Adolfo no disco. Igualmente arrojada e surpreendente, a recriação de “Tamanco no Samba” - gravado pelo Tamba 4 como “Samba Blim” - confirma as excepcionais qualidades do líder como arranjador. O tema de Orlandivo, volta e meia tratado, inclusive pelo próprio autor, como sambinha corriqueiro, se transforma em samba-jazz de alta densidade, abrigando evoluções poliritmicas de Nelson Serra a la Elvin Jones.

Os convidados surgem nas faixas do “lado B”. Edson Maciel desliza seu trombone de vara, pela bela melodia de “Minha Namorada” (Carlos Lyra), em atmosfera de intenso lirismo mas nada açucarada, enquanto Raul de Souza, que três meses antes havia lançado seu disco-solo “À Vontade Mesmo” pela RCA, conta “um, dois, três” antes de esbaldar-se no trombone de válvula em “Bye Bye Blackbird”, aprontando solo de estonteante fluência. Meirelles (líder do Copa 5) mostra sua classe no sax-tenor no sambop “Tema 3D”, única composição de Adolfo incluida no repertório. E Paulo Moura, no sax-alto, destrincha “O Passarinho”, obscura parceria de Chico Feitosa & Lula Freire, encaixando explícita referência a “Take Five”.

A constelação de astros aparece reunida em duas faixas, cujos arranjos foram sabiamente confiados ao gênio Eumir Deodato: “Só Tinha de Ser Com Você” (o tema de Jobim gravado um ano antes por Eumir, em clima bem mais dark, em seu LP de estréia, “Inútil Paisagem”, e por ele novamente regravado para a trilha do filme “Bossa Nova” em 1999), e “Peter Samba”, swingada colaboração de Durval Ferreira & Mauricio Einhorn. Graças a genialidade de Eumir na arte da orquestração, o quarteto de sopros soa como uma big-band! Sequência dos solos: Maciel, Moura, Raulzinho, Meirelles e Adolfo.

Grafado na capa como 3D Trio, o grupo participou em outubro de 65, dividindo o palco com Pedrinho Mattar, Jongo Trio e Gilberto Gil, do “4º Festival do Balança – O Maior Som Universitário do Brasil”, lançado pela RCA em 66. Ainda na RCA, acompanharam de Eliana Pittman (“Minha Melhor Melodia”) a Wilson Miranda (“Tempo Novo”). Novelli passou a ser o baixista, e Vitor Manga, o baterista. Alterando mais uma vez o nome, desta vez para Conjunto 3D, fazendo um som bem nos moldes do “Brasil 66” de Sergio Mendes, saiu em 1967 o álbum “Muito na Onda” (Copacabana), que marcou a estréia discográfica do guitarrista Helio Delmiro, acoplado à base formada por Adolfo, Gusmão e Nelson Serra, e às vozes de Beth Carvalho & Eduardo Conde.

Em 1968, ainda com o 3D, o pianista marcou presença no LP “Isto É Musicanossa!”, do selo Rozenblit, ao lado de Mario Telles, Johnny Alf, Gaya, Menescal e o Sexteto Contraponto. Aderiu à Turma da Pilantragem, comandando o grupo Antonio Adolfo & Asseclas Musicais nos três discos que o pseudo-movimento liderado por Carlos Imperial, Wilson Simonal e Nonato Buzar gravou para a Polydor entre 68 e 69. Logo depois, Adolfo obteve sucesso comercial ainda maior com seu grupo A Brazuca, gravando dois LPs para a Odeon, faturando prêmios em festivais, e emplacando sucessivos hits em parceria com Tibério Gaspar como “Sá Marina” (sucesso internacional sob o título “Pretty world”), “Juliana”, Teletema” e “BR-3”.

Continuou trilhando peculiar caminho pela MPB nas três últimas décadas, tornando-se um dos pioneiros na luta pela abertura de mercado para os discos independentes (a partir do “Feito em Casa”, de 77, seguido por “Encontro Musical” e “Viralata”), desenvolvendo sólido trabalhado como educador (inclusive no exterior, como membro da IAJE), e dedicando-se às releituras das obras de Chiquinha Gonzaga, Ernesto Nazareth e João Pernambuco. Mas jamais retornando à estética bossanovista do Trio 3D. Motivo extra para que o relançamento deste disco singular seja amplamente celebrado.

Arnaldo DeSouteiro
Petrópolis, 6 de outubro de 2001
(Produtor musical, historiador de jazz e música brasileira, jornalista e educador – membro da IAJE, International Association of Jazz Educators).

Texto para contracapa (Text for back cover):
"Segundo (e último) disco do Trio 3D – liderado pelo pianista Antonio Adolfo -lançado pela RCA, em abril de 1965, conta com o reforço de convidados especiais do porte de Raul de Souza, J.T. Meirelles e Eumir Deodato, responsável pelos notáveis arranjos para a seção de sopros em temas como “Só Tinha de Ser Com Você”, clássico de Tom Jobim."

Original session produced by Roberto Jorge in 1965.

Reissue Produced by Arnaldo DeSouteiro for Jazz Station Productions (JSR) in October 2001.



Lightly_Latin-front_mono.jpg  Lightly_Latin-back.png
[Original Mono LP]


Lightly_Latin-front.jpg  Lightly_Latin-back.png
[Original Stereo LP]


Lightly_Latin-In_Italy-Tape.jpg
[4-Track 2-in-1 Reel-to-Reel Tape]


Lightly_Latin-front-japancd.jpg
[Japan LP]


Lightly_Latin_JapanCD.jpg
[2007 Japan CD Reissue with 5 Bonus Tracks]

Perry Como, “Lightly Latin”, RCA Victor #LSP/LPM-3552 (1966).[LP]
Perry Como, “Lightly Latin”, RCA Victor [Germany] #NL-89053 (1966).[LP]
Perry Como, "Lightly Latin", RCA Victor [Japan] #SRA-5038 (1966).[LP]
Perry Como, "Lightly Latin" / "Perry Como In Italy", RCA Victor #TP3 5006 (196_).[2-in-1 Reel-to-Reel Tape]
Perry Como, “Lightly Latin”, RCA Victor #LSP/LPM-3552 (1983).[LP Reissue]
Perry Como, "Lightly Latin", RCA Victor/BMG [Japan] #_______ (2007).[CD Reissue with 5 Bonus Tracks]

Arranged and conducted by Nick Perito except for “Baia” and "The Shadow of Your Smile" which are arranged by Torrie Zito.
Jobim compositions are indicated on the tracklist below.

Tracklist:

How Insensative (Jobim)
Stay With Me (Perito)
The Shadow of Your Smile
Meditation (Jobim)
And Roses and Roses
Yesterday
Coo Coo Roo Coo Coo Paloma
Dindi (Jobim)
Baia
Once I Loved (Jobim)
Manha de Carnaval

Bonus Tracks on the Japan CD Reissue:

Quiet Nights of Quiet Stars (Jobim)
Happiness Comes, Happiness Goes
Perhaps, Perhaps, Perhaps
Little Boat
Pardon My English (Jobim)

LINER NOTES (from the Original LP, uncredited):

Lightly_Latin-Liners


Produced by Andy Wiswell.
Choral Director:  Ray Charles and The Ray Charles Singers.


Sambossa5ZeroHora.jpg

Sambossa 5, "Zero Hora", RCA Victor [Brazil] #______ (1966).[LP]

This album contains Jobim's "O Morro Não Tem Vez".

Musician personnel:

Luis Mello
(piano)
Kuntz
(sax)
Turquinho
(drums)
Klayber
(bass)
Maguinho
(piston)



StayWithMe.jpg  StayWithMe-b.jpg

Vic Damone, "Stay With Me", RCA Victor #LSP-3671 (1966).[LP]

This album contains these Jobim compositions:

Meditation
Once I Loved
How Insensative
The Girl From Ipanema
Someone To Light Up My Life
Quiet Nights of Quiet Stars


Sounds-of-the-Sixties.jpg

Various Artists, "Sounds of the Sixties", RCA Victor #PRS-219 (1966).[5 LP Boxed Set Compilation]

This boxed set compilation contains one Jobim track listed below.


LP 5 -
The Girl From Ipanema (A.C. Jobim, comp.) (Henry Mancini and His Orch. and Chorus, performing)


EXTRAS:

LP-5.jpg - Tracklist and performers for LP 5

LP-5_Liner1.jpg - Part 1 liner notes for LP 5

LP-5_Liner2.jpg - Part 2 liner notes for LP 5

 

 

Mario.jpgMario-b.jpg

Mario Castro Neves, "Mario Castro Neves & Samba S.A.", RCA Victor [Brazil] #BBL-1390 (1967).[LP]
Mario Castro Neves, "Mario Castro Neves & Samba S.A.", RCA/BMG [Brazil] #74321.860962 (2001).[CD]

Includes the following Jobim songs:

Corcovado (Jobim)

Estrada do Sol (Jobim/Dolores Duran)

Mario-c.jpg
[From the original RCA LP (1967)]

 


   Samba-1.pdf - This file is part 1 of the CD reissue liner notes written by Arnaldo DeSouteiro [IN PORTUGUESE].

   Samba-2.pdf - This file is part 2 of the CD reissue liner notes written by Arnaldo DeSouteiro [IN PORTUGUESE].

   Samba-3.pdf - This file is part 3 of the CD reissue liner notes written by Arnaldo DeSouteiro [IN PORTUGUESE].

 

Personnel: Mario Castro Neves (acoustic piano & arranger), Novelli (acoustic bass), Normando (drums), Thais do Amaral & Bibba (vocals).

Reissue Produced by Arnaldo DeSouteiro for JSR (Jazz Station Productions).

Liner Notes by Arnaldo DeSouteiro.


Chet_Atkins-PicksattheBest.png
[Germany LP]


Chet Atkins, "Chet Atkins Picks The Best", RCA Victor [Germany] #LSP-3818 (1967).[Stereo LP]
Jobim's "How Insensative" composition is included in this album.

Produced by Bob Ferguson and Chet Atkins.



Back to Recordings Index

Back to Site Index

Back to Home Page